A carta de Martha

“Queria realmente ficar mais por aqui, pois muitos planos eu ainda tinha, mas a morte não respeita nosso querer viver”

*A pedagoga Martha Bauermann faleceu no dia 03 de dezembro, em Marechal Cândido Rondon, após 11 anos de luta. O câncer levou seu corpo, mas deixou sua alma expressa em cada palavra abaixo. A carta foi ditada em segredo a uma funcionária há poucos meses.

 

Leia a carta:

“O que é a vida diante do viver, se no final desse plano tudo acabará assim: apenas um corpo dentro de um caixão. Que sentido teria se não fossem as lembranças e a saudade que deixamos para nossos queridos familiares e amigos.

Sou grata a Deus por tudo o que me deu, especialmente a família, dois filhos, e tive o privilégio de ver o filho do meu filho, minha amada neta Maria. E então penso em quantos que não chegam sequer à infância. Com isso, vejo que fui muito abençoada. Fiz do meu trabalho parte da minha vida, e digo que foi uma parte muito gratificante, com o trabalho vem a dignidade.

Viver é uma meta, viver é vencer, vencer todos os dias, amando e compartilhando daquilo de melhor que Deus colocou em nós. A humildade e a simplicidade devem ser o foco de nossas vidas, pois sem elas não conseguimos interagir com nossos mais profundos sentimentos.  A humildade nos edifica diante de qualquer situação, nos põe maiores. A simplicidade nos purifica e nos faz humanos.

Cuidem de suas crianças, cuidem de seus pequetitos, amem suas crianças, eduquem, observem e vejam o que suas crianças precisam, e façam a elas com amor, pois você é responsável pelo seu amanhã. Tive uma vida intensa, sei que deixei muitas coisas boas, fiz discípulos e essa certeza tenho, pois sei que deixei aqui pessoas para realizá-las para mim.

A respeito da doença, lutei intensamente, combati o bom combate, mas nem sempre lutar significa vencer. Muitos poderão dizer que fui cedo, mas o tempo que vivemos não significa o quanto vivemos. Viver é um desafio, viver é para os fortes.

Queria realmente ficar mais por aqui, pois muitos planos eu ainda tinha, mas a morte não respeita nosso querer viver. Todos aqui estarão onde eu estou agora, então pense nisso! Não importa o que tenha ao seu redor no dia de sua partida, ainda assim você será um corpo dentro de um caixão!

Agradeço a todos que estiveram ao meu lado e que nesse momento devem estar apoiando a minha família. Agradeço a todos pelas incansáveis orações. Peço orações para a minha família, pois sei que eles irão precisar.

Para encerrar, meus filhos Hique e Rafa, presentes de Deus para mim, amarei vocês eternamente. Meu esposo Iomar, se ficou até o fim é porque lutou comigo, e sua batalha também foi árdua; eu te amei muito!”

Martha Bauermann

 

 

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Onde comprar