Matérias

Edição 130
UMA PERGUNTA

Ser um bom ouvinte é um diferencial?

Publicado em 06/08/2019

“Um mundo agitado! Tudo precisa acontecer rápido. Fale logo. Aja logo. É mais esperto quem é mais rápido.” Essa é a fala dos tempos atuais, mas, onde ficam as relações? Sim, elas ainda são importantes. E sai na frente quem sabe disso e direciona o seu comportamento para realizar conexões verdadeiras, pois geram resultados consistentes.

E neste caso, ser um bom ouvinte é, sim, um diferencial. Há ganhos dos dois lados. Primeiro, porque as pessoas gostam de ser ouvidas e, segundo, porque quem ouve com atenção total no que está sendo dito, aprende mais, percebe o assunto pela perspectiva do outro, julga menos, amplia as possibilidades de ser mais assertivo na hora da sequência do diálogo, pois baseia-se nos fatos (e não somente pelo seu ponto de vista) e, ainda, tem a sua fala muito mais valorizada.

Que tal começar a praticar? Muitas pessoas já mudaram a qualidade das suas relações, passaram a fechar mais negócios e ter mais resultados com suas equipes.
 
Eliane Gavasso é master coach 
comportamental e trabalha 
há 15 anos desenvolvendo líderes 




 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!